• Facebookの - ブラックサークル
  • 黒のYouTubeアイコン
  • Instagramの - ブラックサークル

Sobre o grupo Nzinga

O Grupo Nzinga, fundado em 8 de março de 1995, dedica-se à preservação dos valores tradicionais da Capoeira Angola e da cultura Bantu através de pesquisas, treinamentos, rodas, publicações, debates, arte e ativismo social.

Nosso grupo é guiado pela sabedoria de Mestra Janja, Mestra Paulinha e Mestre Poloca que, cada um à sua maneira, buscam dar continuidade aos ensinamentos e à linhagem do maior defensor da Capoeira Angola, Mestre Pastinha.

Atualmente o Grupo Nzinga está presente em 8 países. Alem do Brasil, Alemanha, Argentina, Colombia, Estados Unidos, México, Moçambique e Japão desenvolvem as atividades do grupo, levando os ensinamentos e os ideias da Capoeira Angola a diversas pessoas de diferentes culturas e origens.

Noss@s Mestr@s

Mestras

 -Janja / Salvador - Bahia

 -paulinha / Salvador - Bahia


Mestres

 -poloca / Salvador - Bahia
 -tião carvalho  / São Paulo - SP

contraMestra

 manoela   / São Paulo - SP

 

contraMestres

 -Adrian   / Rio de Janeiro - RJ

 -denis  / Brazilia - DF

 -gabriel lima verde   / São Paulo - SP

 -kosuke  / Kyoto - Japan

Em 2014 e em 2018, Mestra Janja, Mestra Paulinha e Mestre Poloca foram convidados a ir ao Japão para realizar workshops nas cidades de Kyoto, Tokyo, Kanazawa e Takaoka.

Em 2016, Mestre Poloca visitou o Japão. Na ocasião, foram realizadas oficinas para ensino de capoeira tanto em Kyoto quanto em Tokyo.

 

E importante ressaltar que parte da condução do Grupo Nzinga é feita pelas mestras Janja e Paulinha, ícones femininos da Capoeira tanto no Brasil quanto no mundo, em um ambiente de professores ainda predominantemente masculino. O Grupo Nzinga é defensor da igualdade de gênero, buscando equidade em suas atividades.

Mestra Paulinha, Mestra Janja e Mestre Poloca

Mestra Janja

Rosângela Costa Araújo

Professora de capoeira. Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), e professora do Departamento de Estudos de Gênero e Feminismo da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Desde 1983 ela treinou no Grupo de Capoeira Angola Pelourinho (GCAP) em Salvador, Bahia, onde tornou-se Contramestra. Alem de trabalhar em questões de racismo e sexismo por muitos anos, ela realiza pesquisas sobre cultura, educação e gêneros africanos.

Em 2017 foi convidada para o "20ª Conferência Feminina de Capoeira Angola", patrocinada pela Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA), realizada em Washington, DC, EUA.

Chama atenção como uma professora imponente, de presença marcante e que influencia a tod@s pelas palavras e pelas suas ações. Já visitou o Japão por duas vezes.

Mestra paulinha

Paula Cristina da Silva Barreto

Doutora em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), atualmente ela é professora da Faculdade de Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Leciona sobre racismo, resistência social, cultura e identidade, além de ter escrito inúmeros livros nestas áreas.

Iniciou suas atividades na capoeira em 1983 no grupo Grupo de Capoeira Angola Pelourinho (GCAP), em Salvador, Bahia, onde se tornou Contramestra. Seu trabalho inclui temas relacionados à discriminação sexual e diferenças raciais na Capoeira e na sociedade.

Diversas atividades vem sendo desenvolvidas em conjunto com ela. Em 2017 ela foi convidada para a "20ª Conferência Internacional de Capoeira Angola", patrocinada pela Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA), realizada em Washington, DC, EUA.

 

Mestra Paulinha desempenha um importante papel como professora no mundo da capoeira. Ja visitou o Japão por duas vezes.

Mestre poloca

Paulo Barreto

Funcionário da Universidade Federal da Bahia. Leciona aulas e atividades diárias em Salvador, com especial interessem em educar as crianças locais.

Iniciou suas atividades na capoeira em 1983, no Grupo de Capoeira Angola Pelourinho (GCAP), em Salvador, Bahia, onde tornou-se Contramestre.

Bastante comunicativo e divertido, atrai bastante atenção das crianças. Em sua ultima visita ao Japão realizou workshop para crianças e adultos nas cidades de Kyoto e Tokyo. Já visitou o Japão 3 vezes.

Rainha Nzinga

Nzinga Mbandi Ngola, rainha de Matamba e Angola, viveu entre 1581 e 1663. Ela representa a resistência à ocupação do território africano pelos portugueses, chegados lá com propósito de tráfico humano para fins de escravização.

A ocupação portuguesa na área iniciou em 1578 com a fundação da atual Luanda, capital da Angola. O rei Ngola Kiluani, pai de Nzinga, resistiu a invasão do seu território por muitos anos. Ele foi sucedido por seu filho Ngola Mbandi que, inicialmente, também resistiu aos invasores.

Nzinga e seu irmão negociaram com os portugueses para garantir que eles saíssem dos territórios ocupados. Mais tarde, no entanto, Nzinga discordava da submissão dos líderes africanos aos portugueses, incluindo seu irmão. Ela então ordenou a morte de diversos líderes incluindo seu irmão e comandou grupos de resistência e luta contra a ocupação das terras de Ngola e Matamba.

Ela formou uma aliança com guerreiros jaga que começaram a atuar em quilombos (comunidades de resistência), que usavam táticas similares às utilizadas por Zumbi dos Palmares, seu contemporâneo, em terras brasileiras. Assim, obteve vitórias e relativa paz até morrer aos 82 anos de idade.

 

Sobre o Grupo Nzinga Kyoto

Foi fundado 5 de Maio de 2015 em Kyoto, Japão, pelo Contramestre Kosuke.

O Grupo Nzinga Kyoto segue as diretrizes e a filosofia d@s mestr@s do grupo, estando alinhado também com os núcleos de outros países. O Grupo Nzinga Kyoto tem o desafio de ensinar e difundir os princípios da Capoeira Angola no Japão, considerando as peculiaridades culturais, o que torna cada ginga e cada desequilíbrio bastante desafiador. Como dizem @s mestr@s, nada é impossível e o aprendizado é constante com a capoeira.

Nosso grupo possui participantes de diversas idades, nacionalidades e gêneros. Além dos treinos corporais e musicais, conversamos e fortalecemos os entendimentos sobre os questões sociais dentro e fora da capoeira.

Fotos do grupo

Sobre nós

Grupo Nzinga de Capoeira Angola Kyoto

contramestre - kosuke

Kosuke Arakawa é natural de Kyoto, Japão. Graduado em Língua Estrangeira (Espanhol) pela Universidade de Kansai Gaidai. Cursou pós graduação em Fotografia na FAAP em São Paulo.

Fotógrafo. (www.kosukearakawa.com)

Em 2002, começou os treinamentos de capoeira em Kyoto, despertando interesse e paixão pela atividade. A partir disso, visitou o Brasil várias vezes para aprender e treinar a capoeira.

 

Em 2009, mudou-se para São Paulo onde exerceu a profissão de fotógrafo, cursou a pós gradução e treinou capoeira. Foi também neste período que ingressou no Grupo Nzinga de São Paulo.

Ao regressar para Kyoto, em 2014, organizou um encontro internacional de Capoeira Angola, sendo o primeiro evento de intercâmbio deste tipo em Kyoto. O evento foi denominado "Ginga Nzinga" e teve apoio da Universidade de Kyoto e da Embaixada do Brasil no Japão. Durante o evento, foi reconhecido como Treinel do Grupo Nzinga. Este evento teve continuidade em outras edições, e também permitiu que novas atividades deste tipo fossem realizadas.

Já em 2015, no dia 5 de maio, fundou o núcleo do Grupo Nzinga em Kyoto. No ano de 2016, paralelamente aos treinos do grupo, foi professor de capoeira na Kyoto International School (KIS) por um ano.

Em novembro de 2017 foi reconhecido como Contramestre do Grupo Nzinga durante o evento "Chamada de Mulher", que ocorreu em São Paulo.

Atualmente ensina e continua aprendendo a Capoeira Angola com @s mestr@s do Grupo Nzinga e é responsável pelo núcleo em Kyoto. Também realiza oficinas em outras cidades e países, especialmente na Ásia.

Tem especial interesse em educação para crianças e trabalha com princípios de igualdade de gênero, não-violência às mulheres, não ao racismo e ao machismo.

Grupo Nzinga de Capoeira Angola Kyoto

emilie

Emilie Duvaux Tsuru, Japonesa/Francesa é natural de Kyoto, Japão. 

Doutora em Arte pela Universidade de Kyoto.

Professora de Francês.

Autora de dois livros de arte.

Em 2005, iniciou os treinos de Capoeira em Kyoto e passou a viajar frequentemente ao Brasil para treinar a Capoeira. 

Posteriormente, entre 2012 e 2013, realizou um intercâmbio na Universidade de São Paulo (USP) durante o mestrado na Universidade de Kyoto. Neste período, ingressou no Grupo Nzinga em São Paulo. Ao retornar para o Japão, fez parte do inicio/fundação do Núcleo do Grupo Nzinga em Kyoto.

Atualmente ela continua aprendendo a Capoeira e dando aulas no Grupo Nzinga em Kyoto.

Grupo Nzinga de Capoeira Angola Kyoto

treinela - yumi

Cozinheira vegana e dona do restaurante vegano Sunny Place em Kyoto.

Começou a Capoeira em 2014 e entrou no grupo Nzinga Kyoto em 2015.

Atualmente ela continua aprendendo a Capoeira e dando aulas no Grupo Nzinga em Kyoto.

 

Os núcleos do grupo Nzinga de Capoeira Angola

Brasil
Salvador, bahia

Mestras - Janja, Paulinha

Mestre Poloca

Treinelas - Bruninha, Joana

Treineis - BR, Jon, Leo, Marquito, Raphael

São paulo, SP

Mestre Tião Carvalho

Contramestra Manoela

Contramestre Gabriel Lima Verde

Treinelas - Ana Paula, Gabi, Lara, Raquel, Simone

Treineis - Carica, Maurinho

brasília, df  Facebook do Nzinga Brasília

Contramestre Denis  

Treinelas - Ana Paula, Bia, Karin

Treinel Haroldo

Rio de janeiro, rj

Contramestre Adrian

alemanha

Marburg  Facebook do Nzinga Marburg

Treinela Gundi

Treineis - Heiko, Thomas

argentina

buenos aires  Facebook do Nzinga Buenos Aires 

Treinelas - Ana, Jazmin, Julia

colombia

cali  Facebook do Nzinga Cali

Treinela Andrea

Treinel José

leticia

Treinel Rica

estados unidos

atlanta  Site do Nzinga Atlanta  /  Facebook do Nzinga Atlanta

Treinela Myriam

Carolina do norte

Treinela Courtney

Japão

QUIoto  Site do Nzinga Kyoto / Facebook do Nzinga Kyoto

Contramestre Kosuke

Treinela Yumi

méxico

d.f.  Facebook do Nzinga DF Mexico

Jose

guadalajara  Facebook do Nzinga Guadalajara

Treinela Romy

Moçambique

maputo  Facebook do Nzinga Maputo

Treineis - Fernandinho, Mitó

uruguay

ciudad de la costa

Treinela Victoria